domingo, 6 de setembro de 2009

Viajando por ai

Seja como o ar.

Ele vai, simplesmente vai. Segue o fluxo, cria o fluxo, numa perfeita sincronia com o meio.

O ar é convergente e divergente, é liberto, é fluente, é contagiante, é envolvente.
O ar não faz juízo de valor, ele apenas toca, acaricia, interage.
Não desperdiça nada por onde passa, sempre em frente, de braços abertos ao que se apresenta.
Nunca deixa de seguir adiante, mexe, adiciona, subtrai, mas nunca pára.
O ar é o antípoda da estagnação.
Queria ser como o ar.

Um comentário:

Naiara disse...

queria ser como o ar...