quinta-feira, 31 de dezembro de 2009

CONQUISTA


A grande busca inerente ao ser humano.


Houve um tempo em que seres humanos harmoniosamente conquistavam seres humanos.

Se contagiava, cativava. Interagia com o universo próximo a si. As relações eram intimistas, se motivavam, sim, por interesse, mas existia um método gradativo e cordial. Se conquistava a confiança. Se defendiam interesses e estes eram postos em palavras...e bastava.


Após esse tempo, chegaram novos tempos. E então os seres humanos conquistavam o mundo.
Se criou um mercado de dominação. A conquista foi marginalizada em todos os sentidos. A palavra foi substítuida por papéis e documentos. Os olhos abertos de quem via, permaneciam abertos para não deixar passar os movimentos alheios. A palavra "vantagem" ganhou novos atributos. Poder e medo viraram peças clichê do cotidiano.


E então vivemos os tempos modernos, tecnológicos, uma nova ordem, um novo progresso.
Não existe a possibilidade de ficarmos alienados à isso. Foi instaurada a comunicação em massa para garantir que todos não descarrilassem dos trilhos da informação. A consciência coletiva foi posta. As pessoas passaram a ter um modelo de como fazer, um modelo concreto e estático até segunda ordem. A publicidade tomou de vez o espaço de quarto poder e então a imagem passou a valer mais que o metal mais precioso. E se viu gente confinada com gente para milhões verem, por um punhado de dólares. Se viu a arte virando um apelo ao bizarro, permeando a busca do merchandising pessoal na era do individualismo narcisista.


O desafio foi maturado ao longo dos séculos até o seu ápice onde seu modelo mais sofisticado foi devidamente criado. Até onde o ser humano consegue chegar para conquistar?


Na antiguidade o homem criou a idéia de tempo. E o dividiu em ciclos. Ciclo este, que para nós ocidentais chega a mais um fim, e um novo começo.


É a entrada do ano de 2010, entrada do ano do tigre para os chineses, 5770 no calendário judaico, etc.


O costume coletivo neste momento é sempre o de desejar. As pessoas desejam paz, amor, dinheiro, mudanças, igualdade, união...e...conquistas.


Aqui vai o meu desejo para 2010. Que todos nós olhemos para si e busquemos aquelas coisas simples que imperceptívelmente foram se perdendo desde nosso nascituro. Nossa verdade, nossa pureza, nossa capacidade de construir, nossa essência. Proponho para 2010 uma RECONQUISTA para todos nós e de todos nós.


Para aqueles que acompanham as maluquices deste blog que compoem uma grande extensão dos meus pensamentos mais profundos...


...MUITA ILUMINAÇÃO e OBRIGADO.

3 comentários:

Ruth disse...

me fez chorar.
incrível, Junior.
Esse ano vai ser brilhante pra ti... a gente sabe.
TE AMO!

::.. DuDa ..:: disse...

Realmente é lindo o que escreveste. Isso me faz refletir sobre as coisas lindsas que o ser humano faz. Para mim o mais belo do ser humano está nos horizontes finitos da sua utopia. A cada zeitgest que nossa comunidade humana vive, proporcionam grandes desenvolvimentos..., mas o mais belo de todos, é o da poesia, é a expressão. Apesar de ser esse um universo finito, a beleza da poesia e da utopia de cada um é tão ampla que nos faz perder a dimensão e relação de tempo e espaço.

Para mim, em todos os momentos dessa incrível jornada em que o ser humano se desprende rumo a um "processo evolutivo", houve conquistas "em que seres humanos harmoniosamente conquistavam seres humanos"(ISSO É A RELAÇÃO DE AMIZADE), agora cada um define o tempo e o espaço, conforme sua utopia. Para mim, isso ocorre sempre, pois é um processo que faz a engrenagem funcionar. A forma como ocorre esse tipo de conquista é que define a poesia de cada época!

...e tu Junior, define um espírio de época para muitas pessoas com a tua poesia, com a tua expressão escrita, com as tuas maluquices, que, como tu mesmo disse, compoem uma grande extensão dos seus pensamentos mais profundos...

...é isso...
Duda.

odgarcia disse...

Então Deus disse: “Façamos o homem à nossa imagem e semelhança. Que ele reine sobre os peixes do mar, sobre as aves dos céus, sobre animais domésticos e sobre toda a terra, e sobre todos os répteis que se arrastam sobre a terra. (Gn 1,26).
Nós, seres humanos, não somos obra do acaso, mas obra do Criador do universo. Somos agraciados com grande importância aos olhos de Deus, porque Ele nos fez para si. E tudo o que Deus faz é perfeito.
Na nossa liberdade pessoal, temos direito a manifestar uma opinião, cuja dignidade deve ser respeitada por todos. Cada um de nós, portanto, é único e possui desejos e valores individuais. Isto tudo representa a bela e maravilhosa diversidade da vida.
Deus quis nos fazer comunidade para que pudéssemos evoluir ao compartilharmos nossas opiniões com os outros. Certamente que cada um tem sua posição a respeito das coisas, mas é nesse confronto de diferentes pensamentos e medição de tais diferenças que temos a possibilidade de evolução. Através do convívio com diferentes pensamentos podemos aperfeiçoar nosso modo de ver e de agir. A esta maravilhosa troca de idéias é que formamos nossa experiência de vida. Nada seríamos se todos tivessem o mesmo pensamento ou se não tivéssemos com que trocar nossas idéias. O valor do homem, portanto, está na convivência com seus semelhantes. Mesmos que muitas idéias não aceitemos, sempre haverá algo disponível para enriquecer nossa vida.
É com esse pensamento que expresso meu respeito ao próximo quando apresenta sua opinião e, acolhendo-a, embora nem toda seja aceita por mim, como nem toda minha opinião poderá ser aceita, há a possibilidade e crescimento mútuo.