segunda-feira, 1 de setembro de 2008

Eu vou...


Eu vou te fazer chorar. Eu vou te fazer falar aquilo que tu bloqueia até para ti. Eu vou te fazer sorrir sem se preocupar com os olhares alheios. Eu vou te fazer enxergar o mundo que disseram ser impossível imaginar. Eu vou te fazer fluir do jeito que teu corpo pedir. Eu vou te fazer seguir pelo caminho mais íngreme e mais fechado. Eu vou te fazer provar dos opositores e testar os prestadores. Eu vou te fazer entender que articulação, poder e status não são ingressos para nenhum lugar melhor. Eu vou te fazer provar a poção mágica da igualdade para tu entender que ela foi feita com as mãos da diversidade. Eu vou te ensinar que, a percepção de evolução pressupõe a existência de um ponto de partida e um de chegada. Eu vou te mostrar um mundo animado em meio à natureza fractal, com uma energia forte o bastante para te fazer reler todas tuas leituras...eu vou te fazer entender que a coragem não é uma arma, mas sim o cajado que te sustenta e carrega o teu medo. Eu vou te instigar a fazer coisas sem motivos além da tua vontade. Eu vou te fazer compreender que existem mais cores do que tu imagina, e tudo pode ficar mais colorido entre um e outro piscar de olhos. Eu vou te ensinar como esculpir um alicerce sem querer, apenas seguindo em frente do jeito que tu acredita que deve ser...

Eu vou atravessar esse espelho que nos separa e chacoalhar um pouco as tuas ideias...

Um comentário:

Sabrina disse...

Adorei todos.. deu um nó no cérebro, hehehe!!! Mas sem dúvida esse é o meu favorito. Achei ele muito profundo. Tu é um artista... só falta a faculdade... porque psicologia não falta nos teus textos! Bj.