quinta-feira, 16 de outubro de 2008

O sonho


Tu estás prestes a ser consumido.


Prepare-se.


Ninguém te avisou, mas eu estou te dando um tempo extra de vantagem. Use-o com habilidade. Assim tu vais poder planejar como escapar do perigo iminente.


Vamos, o tempo voa e as possibilidades estão ali. Só não te surpreenda se tu não souber o que fazer. Ainda mais se tu nunca pensou nisso, ou o que é pior, nos momentos em que precisou, nunca soube realmente o que fazer.


Não é tarde! O tempo é curto, mas corrente. Isso o torna, por hora, teu aliado. Os outros se protegeram! É o que tu vê. Mas, sem desespero, tu tens consciência que és dono de um tempo só teu. Essa é a tua primeira e mais poderosa arma, ser dono do teu tempo. Será?!

Estou me aproximando e tu até já vê. Tu pensa em fazer uma ou duas preces. Isso te tomaria tempo, e nesse momento esse ato de fé foi deslocado para a prateleira dos desesperos dispensáveis por ti.


Usar as mãos contra algo como eu? Bem provável que haja um outro instrumento mais eficaz e garantido. Tu olha pros lados. Teus livros, teu jornal, a televisão, o cachorro, o som do microondas bipando o fim de um aquecimento, as contas sobre a mesa, o rádio tocando um sucesso qualquer dos anos 80...apenas um punhado de coisas que não te iluminaram em nada a porta de saída.


Consegue sentir? Estou praticamente em cima de ti, voraz, completamente sedento, com meu olhar profundo e inopino. Tu não sabe o que fazer, então aceite isso e se entregue ao inevitável.

Bom, agora pode acordar.

Um comentário:

Sabrina disse...

AMEIIIII!!! Mto showww esse!!! Tava inspiradaço, hehehe! Tu é genial querido. Bjuuuu.